2 de julho de 2016

Buscando viver

Imagem de alternative, blonde, and city

Eu costumo criar dificuldades para ir para frente, amarras que me prendem para trás. Costumo não arriscar com medo de cair, não comer com medo de engasgar, não escutar a música com medo de quando ela acabar. Mas não deveria ser assim, porque deixar de acordar cedo me faz deixar de ver o nascer do sol, parar de estudar com medo de não alcançar o que quero, não me faz somente desistir de tudo? Ou escolher não ser quem eu sou só para não brigar com aquele que eu amo, não me faz ser uma covarde? 

Admito isso, não tenho feito as escolhas certas, tenho feito as mais fáceis, mesmo sabendo que não é assim que se vai pra frente. E não deve ser assim! Quero ser quem eu sou e levantar a minha voz quando precisar: ser ativa, viver, cair e levantar depois. Não é com sorrisos que se sabe que está viva, é quando a gente luta que o sangue esquenta e aí você sente sua vida: quando você está lutando por ela e fazer isso não é levantar da cadeira e ir caminhando? Não é pegar o livro e estudar para conseguir realizar seus sonhos? Não é brigar com quem se ama para fazer a coisa certa? É deixar o medo de lado e mergulhar de cabeça, tendo como único apoio a fé em Deus. 

Então é isso que vou fazer. Vou fazer as escolhas certas, não as mais cômodas. Vou ser quem eu sou e ao mesmo tempo viver isso e lutar por isso, mesmo que aparentemente tudo mostre que eu tenha que mudar, que não ser quem de fato sou. Mas vou lutar contra isso e lutar por mim também. Para fazer as coisas certas, mesmo que para isso eu tenha que levantar a voz e sair do meu "conforto" particular. É assim que se vive, não é? E vou buscar viver. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário